Postagens

Diabetes Melito

O diabetes melito, ou diabetes é uma doença, que se relaciona com a inatividade física, obesidade, má alimentação. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 382 milhões de indivíduos tem a doença e a estimativa que até 2035, esse número aumente para 582 milhões de pessoas no mundo.

O diabetes é uma doenças caracterizada por hiperglicemia (excesso de açúcar no sangue) que pode estar relacionado a secreção inadequada  de insulina (tipo 1), resistência a esse hormônio nos tecidos corporais (tipo 2) ou a soma de ambos. O diabetes é uma das principais causas de morte no Brasil e no Mundo.

O diabetes tem varias classificações: Diabetes tipo 1, diabetes tipo 2, diabetes gestacional e outros tipos de diabetes que podem ser causados por medicamentos, defeitos genéticos, doenças do sistema hormonal, infecções, etc. As formas mais predominantes de diabetes são o tipo 1 e tipo 2.

Diabetes tipo 1, é uma doença autoimune, o sistema imunológico não reconhece as células produtoras de insulina que estão no pâncreas e iniciam uma agressão deste tecido ocasionando sua destruição completa. Indivíduos nessa situação deveram fazer uso continuo de insulina exógena por toda a vida para manter o nível glicêmico normal ou próximo da normalidade. Sua prevalência é mais comum em crianças ou jovens adultos, cerca de 5% a 10 % dos casos na população.

Diabetes tipo 2 é mais comum na população adulto, compreendendo cerca de 90 % dos casos, está relacionado com a obesidade, sedentarismo, má alimentação e a crescente urbanização. A origem da hiperglicemia inclui o aumento da produção de glicose pelo fígado, a diminuição da secreção (liberação pela célula) de insulina e resistência aos tecidos do hormônio.

Os níveis elevados de glicemia podem ocasionar complicações agudas, como cetoacidose diabética (utilização demasiada das gorduras para gera energia), na ausência da insulina. As complicações tardias podem ser acometimento dos olhos, rins, nervos, coração e vasos sanguíneos, que podem deixar o indivíduo incapacitado. As complicações tardias podem levar a cegueira, insuficiência Renal crônica, amputação das pernas, infarto do miocárdio (músculo do coração), acidentes vascular encefálico (derrame).

Essa doença pode ser prevenida ou retardada (diabetes tipo 2) com uma vida ativa, a utilização de exercícios físicos, boa alimentação e combate a obesidade.

No próximo post, explicarei a importância do exercício físico para o diabetes tipo 1, depois finalizarei com um novo artigo sobre o diabetes tipo 2.
 
cleyton.jpg
Clayton Souza - Personal Trainer,
Pós Graduado em Fisiologia do Exercício (UNIFESP/EPM).
Postado: 05/01/2016
Tags:

Deixe o seu comentário

0Comentários

Voltar